Translate this Page

Rating: 2.2/5 (240 votos)

ONLINE
2





Partilhe esta Página


12. Por que Deus deixou a árvore do conhecimento..
12. Por que Deus deixou a árvore do conhecimento..

Por que Deus deixou a árvore do conhecimento do bem do mal?  Por que ele não a tirou fora para que homem não pecasse?   Gênesis 2,9 e 3,1-7

 

A Bíblia fala da árvore do conhecimento do bem e do mal em Gênesis 2,9 e 3,1-7. É claro que se trata de uma "árvore simbólica". Inútil querer procurá-la em algum jardim botânico ou floresta ou, quem sabe, em algum paraíso perdido.

 

Ela representa - como o  próprio nome diz - a capacidade de discernir o que é bem ou o que é mal. Junto com essa árvore há outra, a da vida. A única árvore  cujo fruto o ser humano não pode comer é justamente o da árvore do conhecimento do bem e do mal. Em outras palavras, por viver  em sociedade e pelo fato de ser humano junto com outros humanos,  o homem não pode ser o juiz último de tudo. É como se costuma dizer: "Tua liberdade termina onde inicia a liberdade do teu próximo". Em outras palavras, há pessoas que querem liberdade e vida  plenas somente para si, mesmo que isso custe a escravização e a morte de outras pessoas. Quem pensa e age desse modo apodera-se da árvore do conhecimento do bem e do mal. A árvore está aí no jardim para nos dizer que podemos nos alegrar por sermos livres e para que exerçamos a liberdade com responsabilidade.

 

Porém, por que Deus deixou aí no jardim essa "árvore"? Por que não a arrancou, de modo que a humanidade não pecasse? Deus quis  que o ser humano fosse livre, e livre o criou. Se assim não fosse, tampouco se poderia dizer que a humanidade foi criada à imagem e semelhança de Deus (1,26). Sem liberdade não existe o ser humano. A liberdade é para ele o que é a alma para o corpo. Assim como o corpo sem alma cadáver, da mesma forma o ser humano sem liberdade de opção seria simples máquina, incapaz de escolher seu caminho, incapaz até de amar, pois amar é exercício de liberdade.

 

Se Deus tivesse eliminado a árvore do conhecimento do bem e do mal, ou seja, se nos tivesse criado sem liberdade, ele próprio não poderia ser chamado o Deus de Israel. Pois o fato mais marcante do Antigo Testamento - que deu origem a Israel como povo - é justamente a libertação da escravidão egípcia. Sem essa experiência fundamental  nós, cristãos, ficaríamos sem o Deus de Israel e sem a Bíblia que nos fala dele. Sim, porque tudo começou e tudo se desenvolveu ao redor desse acontecimento fundamental na vida do povo de Deus .