Translate this Page

Rating: 2.2/5 (241 votos)

ONLINE
4





Partilhe esta Página


16.4 4ª AULA: “O AMOR GERA COMUNHÃO-1TS 2,17-3,13
16.4 4ª AULA: “O AMOR GERA COMUNHÃO-1TS 2,17-3,13

Curso Bíblico Online

 4ª Aula: “O amor gera comunhão, unidade e resistência na perseguição”

1TS 2,17-3,13

 

­­­­Acolhida: Anunciar Jesus Cristo e o projeto do Reino de Deus significa ir na contramão de uma sociedade injusta. Na aula da semana passada, refletimos sobre o anúncio do evangelho de Deus, uma boa-nova de vida e justiça, em oposição à pregação do império, que escraviza e oprime as pessoas. Na aula de hoje, vamos nos alegrar com Paulo e seus colaboradores, porque a comunidade de Tessalônica, apesar das perseguições e sofrimentos, continua perseverando no evangelho de Jesus Cristo.

 

Motivando a aula: Na América Latina, há muitas mulheres e homens que foram perseguidos por assumir a causa da justiça. Entre eles, vamos nos lembrar de Ir. Cleusa, religiosa da Congregação das Irmãs Missioná­rias Agostinianas Recoletas. Em seus 32 anos de vida missionária, ela atuou a serviço de pessoas empobreci­das: hansenianos, presidiários, cegos, menores de rua, dependentes químicos, indígenas etc. Por causa de sua fé, ela deu a vida pelos pobres e excluídos. Ir. Cleusa foi assassinada no dia 28 de abril de 1998, às margens do rio Paciá, na Prelazia de Lábrea, no Amazonas.

 

Margarida Alves, Pe. Ezequiel Ramim, Dorcelina Folador, Ir. Dorothy, Pe. João Bosco, Santos Dias, Frei Tito, Ir. Lindalva, Pe. Rodolfo são alguns mártires, que assumiram até as últimas consequências o anúncio do Evangelho «Que la memoria de los mártires no os deje dormir en paz». Pedro Casaldáliga. http://www.servicioskoinonia.org/martirologio/

 

 

 

Situando o texto que iremos estudar hoje:

Antes de lermos o texto é preciso saber que no tempo de Paulo, e mesmo antes, havia um clima de hostilidade contra as pessoas que pregavam e seguiam Jesus. Por exemplo, diante dos rumores que inculpavam o próprio imperador pelo incêndio de Roma, Nero incriminou, massacrou e perseguiu a comunidade cristã. O evangelho de Deus era contrário ao interesse e à lógica do império, o que causava conflito especialmente nas cidades de administração romana, como era o caso de Filipos e Tessalônica. A mensagem e a vivência dos seguidores e seguidoras de Jesus entraram em conflito com a vida cotidiana da sociedade escravista do Império Romano.

 

As atividades missionárias de Paulo e seus colaboradores atraíram as pessoas empobrecidas e sofridas com as quais eles formaram pequenas comunidades de fraterni­dade e igualdade, colocando em risco os alicerces de uma sociedade baseada na opressão e exploração das pessoas. Por isso, Paulo e seus companheiros foram perseguidos e tiveram que sair da cidade.

 

Chegando a Atenas, cidade para onde foram, Paulo ficou preocupado com a saúde espiritual dos Tessalonicenses posto que continuavam sendo perseguidos. Por isso, ele mandou Timóteo para servi-los "em benefício da [sua] fé". Como ministro do evangelho, o trabalho dele era de fortalecer os irmãos e encorajá-los a não se deixarem abalar por causa do sofrimento (3,1-3). A tribulação (a cruz) faz parte da vida cristã, e Timóteo precisava lembrá-los disso para que não desistissem na luta contra "o Tentador" (3,3-5).

 

A viagem de Atenas a Tessalônica levava de duas a três semanas. A missão de Timóteo teria levado um bom tempo! Quando Timóteo voltou com a boa notícia, Paulo já estava na cidade de Corinto. Com alegria e em espírito de ação de graças, ele escreveu sua carta pastoral aos tessalonicenses. Vamos ver tudo isso, primeiramente, ouvindo a canção que segue.

 

1º Passo: A leitura vou fazer, vou rezar e refletir. Devo, então, me perguntar:  O que o texto diz em si? Ler, meditar, rezar, contemplar. Passos tão pequenos, fazem a vida transformar.

 

Agora, assista o vídeo,  leia o texto 1Ts 2,17-3,13 e responda:

  1. a) Quais notícias, trazidas por Timóteo, que tanto agradaram a Paulo?
  2. b) Por que Paulo sente a necessidade de encorajar a comunidade de Tessalônica?
  3. c) Quais as atitudes recomendadas por Paulo para que a comunidade se mantenha firme na caminhada?

 

 

Comentando o texto: l Ts 2,17-3,13- Amor e solidariedade

 Paulo sente um vivo desejo de visitar a comunidade de Tessalônica. Ele tentou várias vezes, mas foi impedido por Satanás (2,18; cf. Rm 16,20; Ap 2,13), expressão usada para designar as forças contrárias à viagem apostólica dos missionários. Ele e seus seguidores foram perseguidos pelos poderosos do Império Romano. Por isso, a intenção de Paulo era estar com a comunidade para ; mimá-la diante das dificuldades, obstáculos e oposições ao anúncio de Jesus Cristo. De maneira carinhosa, os missionários escreveram: “Separados de vocês, mas não de coração, e redobramos nossos esforços pelo ardente desejo de vê-los novamente” (2,17).

 

Paulo viveu a expectativa da vinda iminente do Senhor e afirmou que a comunidade era a sua credencial para se apresentar diante de Jesus: “vocês são a nossa glória e alegria” (2,20). O sentimento de Paulo era de angústia, solidão e preocupação pelo fato de não poder ir à comunidade, por isso enviou Timóteo, seu fiel companheiro e colaborador: “não podendo mais suportar, resolvemos ficar sozinhos em Atenas e enviamos Timóteo, nosso irmão e colaborador de Deus no evangelho de ( l isto” (3,1-2). Diante das perseguições, Timóteo teve a missão de encorajar e fortalecer os seus irmãos na fé.

 

Assumir o seguimento de Jesus implicava tribulações e perseguições. A comunidade já havia sido alertada sobre isto anteriormente, mesmo assim, era preciso alguém para ajudá-la a superar esse momento de sofrimento. Além do mais, Paulo sentia um temor real: “Eu temia que o tentador os tivesse seduzido e nosso trabalho tivesse sido inútil” (3,5b).

 

Uma das ações do tentador ou Satanás (2,18) era incentivar e seduzir as pessoas para seus costumes e práticas (cf. 4,1-8; 1Cor 5,5; 7,5; 2Cor 2,11): cobiças, imoralidade, idolatria, ritual com prática sexual, muito comum na sociedade greco-romana. Paulo temia que os membros da comunidade recém-fundada de Tessalônica com a nova prática cristã voltassem para a antiga prática e abandonassem a fé no Senhor Jesus Cristo.

 

Ao retomar, Timóteo trouxe boas notícias sobre a fé e o amor vivenciados na comunidade. Trouxe também boas notícias sobre a memória viva da presença e da pregação dos missionários. A alegria e a emoção encheram o coração de Paulo: "por causa da fé que vocês têm, ficamos encorajados em meio a todas as nossas necessidades e tribulações” (3,7). As dificuldades vivenciadas pela comunidade não diminuíram a fé e o amor. Paulo acreditou nas notícias trazidas por seu hei colaborador e afirmou: “Agora estamos reanimados, porque vocês estão firmes no Senhor” (3,8). Além de ter acreditado em Timóteo, era também uma expressão de afeto por seu colaborador e pelo grupo de Tessalônica.

 

Em sua oração, Paulo apresentou três pedidos:

1) Que Deus e o Senhor Jesus conduzam o caminho deles até Tessalônica.

2) Rezou para que o Senhor ajudasse a comunidade a crescer no amor mútuo, com o mesmo amor que os missionários sentiam pelas pessoas que nela estavam.

3) Reza para que eles fossem fortalecidos na santidade e assim permanecessem fiéis à espera da vinda de nosso Senhor Jesus com todos os seus santos.

 

A palavra vinda, em grego parusia, significava uma visita solene de um soberano ou de uma pessoa muito importante. Designava também a vinda das divindades. Era uma visita celebrada com cerimônias especiais e com muita pompa. O Novo Testamento utilizou essa palavra para expressar a vinda do Cristo Ressuscitado (cf. 19; Mt 10,23; 16,28; 19,28) e também para designar a ultima vinda de Cristo (Mt 16,27). A vinda do Senhor era aguardada e motivava as pessoas em sua esperança de um mundo novo: sem injustiças. E hoje, o que nos motiva a viver no amor e na santidade? O Ressuscitado já está presente entre nós! Essa verdade de fé é um convite para buscarmos a vida plena nossa e de nossos irmãos, especialmente daquelas e daqueles que vivem em condições indignas.

 

2º Passo: Meditando passo a passo, vou assim, sem distrair, perguntando, perguntando:  O que o texto diz para mim?

Mesmo na perseguição, Paulo e seus colaboradores são comprometidos com a vida da comunidade; eles são solidários, persistentes na oração e se fazem presentes de forma concreta, enviando Timóteo para encorajar e exortar as pessoas a perseverarem no seguimento de Jesus. Podemos aprender desses primeiros missionários a importância de fortalecer a solidariedade e a fraternidade. Quais as dificuldades e obstáculos que encontra­mos no anúncio do Evangelho? Nossos líderes acompanham os momentos de conflitos vivenciados na comunidade? Como vivenciamos a prática do amor em nossas comunidades?

 

3º Passo: E agora vou rezar, por aqueles que são teus, abrirei meu coração: O que vou dizer a Deus?

Quando voltou de Tessalônica, Timóteo trouxe melhores notícias do que haviam esperado. Visto que os irmãos continuavam firmes em Cristo, Paulo podia sentir alívio mesmo no meio de sua própria tribulação (3,6-8). Notemos que consolação e paz em Cristo não são o resultado de uma vida sem perseguições, e sim de uma vida cujo foco é o Senhor e o bem-estar dos servos dele.

 

Sobremaneira alegres com estas notícias, Paulo e os outros reagiram com constantes ações de graças a Deus, pedindo ainda mais que Deus lhes concedessem maneira de estarem todos juntos novamente (3,9-11). Além das ações de graças, Paulo pediu que Deus ajudasse os tessalonicenses a continuarem crescendo em amor, a fim de que fossem inteiramente prontos para a vinda de Jesus (3,12-13).

 

Rezemos por todas as pessoas de ontem e de hoje, principalmente aqueles e aquelas que anunciaram com a própria vida o Evangelho. Tendo presente a vida dos mártires da caminhada, pedimos a Deus que nos ajude a testemunhar com amor e alegria o evangelho de Deus no mundo de hoje. Que a oração do pai-nosso dos Mártires nos ajude a renovar nosso compromisso com o projeto de Deus.

 

 

4ª Passo: Contemplar enfim, eu vou, sem ter pressa e sem demora, meu Senhor já me enviou: O que vou fazer agora?

Sugestão: Fazer uma visita a um grupo ou família que está vivenciando conflitos familiares ou pastorais.

 

Benção:

O Deus da esperança e da paz nos conce­da serenidade e alegria para vivermos e anunciarmos o Evangelho. A bênção de Deus pai-mãe desça sobre você e sobre cada uma que está fazendo este retiro orante.

 

Obs: Deixe no box abaixo o seu comentário a respeito desta lição.

 

 

Para ir para a 2ª aula clique aqui: http://www.leituraorante.com.br/162-2-aula-conhecendo-a-cidade-de-tessalonica

 

Para ir para a  3ª aula clique aqui: http://www.leituraorante.com.br/163-3-aula-o-anuncio-do-evangelho-de-deus

 

Para ir para a  4ª aula clique aqui: http://www.leituraorante.com.br/165-5-aula-respeitar-o-proprio-corpo2

 

Para ir para a  5ª aula clique aqui: