Translate this Page

Rating: 2.7/5 (876 votos)

ONLINE
1





Partilhe esta Página


2- Símbolos e imagens que mais freqüentemente
2- Símbolos e imagens que mais freqüentemente

  1. Elementos da natureza e do universo

 

  1. Cores: Em todos os povos, de acordo com a sua cultura, as cores têm um significado simbólico. No Antigo Egito, por exemplo, preto era a cor da esperança. Em outros povos, branco é a cor do luto. Para nós, verde simboliza a esperança. No Apocalipse as cores têm um significado.

 

  • Branco (Ap 2,17): vitória, glória, alegria, pureza. 

 

*Vermelho (Ap 6,4): sangue, fogo, guerra, perseguição. *Amarelo-esverdeado ou baio (Ap 6,7): cor de cadáver que se decompõe, doença.  * Púrpura e escarlate, vermelho vivo (Ap 17,4): luxo e dignidade real. * Preto (Ap 6,5): fome.

 

  1. Números: Entre nós, alguns números têm um significado simbólico. Por exemplo, sete é a conta do mentiroso. Treze é número de azar. No ambiente apocalíptico, os números também têm um significado simbólico:

 

3 - Três vezes é o superlativo hebraico: plenitude (Ap 21,13) e santidade (Ap 4,8): 3 x Santo.

 

4 - Número cósmico: os quatro cantos da terra, toda a terra (Ap 4,6; 7,1; 20,8); os quatro elementos do universo: terra, fogo, água, ar. Quadrangular (Ap 21,16): sinal de plenitude e de perfeição.

 

7 -  É a composição de 3 + 4. Indica plenitude, perfeição, totalidade (Ap 1,4). Metade de 7 é 3,5 (Ap 11,9). Às vezes se diz "um tempo, dois tempos, meio tempo" (Ap 12,14; Dn 7,25), isto é, três anos e meio. É a duração limitada das perseguições. É o tempo controlado por Deus.

 

10 - "Dez dias de provação" (Ap 2,10) (cf. Dn 1,12.14), tempo de curta duração.

 

12 - É uma composição de 3 x 4. Número de perfeição e de totalidade (Ap 21,12-14).

 

24 - É uma composição de 2 x 12. Os 24 anciãos (Ap 4,4), isto é, representantes do povo do AT (12 tribos) e do povo do NT (12 apóstolos), ou seja, a totalidade do povo de Deus.

 

42 - Quarenta e dois meses (Ap 11,2) é igual a três anos e meio, é igual a 1.260 dias (cf. Ap 12,6), isto é, a metade de sete anos. Indica o tempo limitado por Deus.

 

144 - É uma composição de 12 x 12 (Ap 21,17). Sinal de grande perfeição e totalidade.

 

666 - É o número da besta (Ap 13,18). Em grego e em hebraico cada letra tinha um valor numérico. O número de um nome era o total do valor numérico de suas letras. O número 666 é do nome César-Neron conforme o valor das letras hebraicas ou César-Deus conforme o valor das letras gregas. É também o número de maior imperfeição: seis não alcança sete, é só a metade de doze, e isto por três vezes! O número 666 é o cúmulo da imperfeição!

 

1.000 - Designa um prazo de tempo comprido e completo. Reino de mil anos (Ap 20,2). As combinações: 7 x 1.000 = 7.000 (Ap 11,13), 12 x 1.000 = 12.000 (Ap 7,5-8), 144 x 1.000 = 144.000 (Ap 7,4)

 

Elementos da natureza: Entre nós, alguns elementos da natureza têm um significado simbólico. Por exemplo: "Fulana tem uma boa estrela!" "João tem saúde de ferro!" "Aquela menina é uma pérola!" Na Bíblia, os elementos da natureza têm variados significados simbólicos:

 

  • sol e lua:"vestida com o sol, a lua debaixo dos pés" (Ap 12,1): criação servindo ao povo de Deus.

 

  • estrela (Ap 1,16): anjo ou coordenador da comunidade (Ap 1,20).

 

  • estrela da manhã (Ap 2,28): Jesus, fonte de esperança (Ap 22,16).

 

  • arco-íris (Ap 10,1): símbolo da onipotência e da graça de Deus. Evoca a aliança de Deus com Noé (Gn 9,12-17).

 

  • mar (Ap 13,1): caos primitivo (Gn 1,1-2), lugar de onde sai a besta-fera, símbolo do mal.

 

  • abismo (Ap 9,2): lugar debaixo da terra, onde os espíritos maus ficam presos.

 

  • água da boca da serpente, o vômito (Ap 12,15): império romano.

 

  • Eufrates (Ap 9,14): região de onde costumavam vir os invasores; aqui os partos.

 

  • cristal (Ap 4,6; 22,1): clareza, esplendor, transparência, ausência do mal.

 

  • pedras preciosas (Ap 21,19-20): raridade, beleza, valor.

 

  • pedra branca (Ap 2,17): usada no tribunal pelo juiz para declarar alguém inocente.

 

  • ouro (Ap 1,13): riqueza.

 

  • ferro, cetro de ferro (Ap 2,27): poder.

 

  • barro, vasos de barro (Ap 2,27): fragilidade. Evoca Is 64,7 ou Jer 18,6.

 

  • palma (Ap 7,9): triunfo.

 

  • duas oliveiras (Ap 11,4): personagens importantes. Evocam a visão do AT (Zc 4,3-14).

 

  1. Mundo animal: A convivência com os animais produz significados simbólicos. Por exemplo, o povo diz: "Não ser papagaio", "Escutar como coruja", "Meter o bico em tudo", "Fulano é um cavalo!". No Apocalipse, os bichos ou partes do bicho têm vários significados simbólicos:

 

  • dragão (Ap 12,3) ou "antiga serpente" (Ap 12,9): poder do mal hostil a Deus e a seu povo.

 

  • besta-fera que sobe do abismo (Ap 11,7) ou do mar (Ap 13,1): Nero ou o império romano.

 

  • besta-fera que sai da terra (Ap 13,11): o falso profeta que propaga o culto ao imperador. O dragão, a besta-fera do mar e a besta-fera da terra são uma caricatura da Trindade. O anti-Deus, o anti-Cristo e o anti-Espírito (falso profeta).

 

  • pantera, leão e urso (Ap 13,2): crueldade, sem misericórdia. Evoca a visão de Danie1 (Dn 7,4-6).

 

  • cavalos (Ap 6,2-7): poder, exército que arrasa. Evocam a visão de Zacarias (Zc 1,8-10).

 

  • cordeiro (Ap 5,6): indica Jesus. Evoca o cordeiro pascal imolado no êxodo (Ex 12,1-14).

 

  • leão, touro, homem, águia, os "quatro seres vivos", literalmente: "animais", (Ap 4,6-7): indicam os quatro seres mais fortes que presidem o governo do mundo físico. Indicam também os quatro elementos que formam o ser humano: touro (instinto), leão (sentimento), águia (intelecto), homem (rosto). Os quatro juntos formavam o ser mitológico da Babilônia, chamado karibu ou Querubim, e a Esfinge do Antigo Egito. Evocam as visões de Isaías (Is 6,2) e sobretudo  de Ezequiel (Ez 10,14 e 1,10).

 

  • águia (Ap 12,14): evoca a proteção do êxodo (Ex 19,4; Dt 32,11).

 

  • gafanhotos (Ap 9,3): invasores estrangeiros, os partos. Evocam as pragas do Egito (Ex 10,1-20) e a visão de Joel que fala de gafanhotos com aspecto de cavalos (JI 2,4; Ap 9,7).

 

  • escorpião (Ap 9,3): perfídia, traição. Evoca êxodo conforme o livro da Sabedoria (Sb 16,9).

 

  • cobra, serpente (Ap 9,19): poder mortífero.

 

  • sapo (Ap 16,13): animal impuro (Lv 11,10-12); símbolo persa da divindade das trevas. Evoca a praga das rãs (Ex 7,26 a 8,11).

 

  • chifre (Ap 5,6): poder, particularmente o poder do rei.

 

* asas (Ap 4,8): mobilidade; velocidade em executar a vontade de Deus. Evocam Ezequiel (Ez 1,6-12).