Translate this Page

Rating: 2.2/5 (240 votos)

ONLINE
3





Partilhe esta Página


25 - O que significam as palavras de Deus ...
25 - O que significam as palavras de Deus ...

O texto bíblico diz: "Disse Caim a Javé: 'Pesado demais é meu castigo para ser suportado! Eis que hoje me expulsas para longe do solo fértil, e deverei esconder-me da tua face, vagueando errante e fugitivo pela terra. O primeiro que me encontrar me matará'! Respondeu-lhe Javé: 'Pois bem, se alguém matar a Caim, sete vezes sofrerá  vingança' E Javé pôs um sinal em Caim, para que não o matasse o primeiro que o encontrasse" (Gn 4,13-15).

Esse relato, como outros já vistos, não pode ser tomado ao pé da letra como se fosse narração histórica no sentido moderno do termo, isto é, a documentação de um fato, aferível, comprovável. É histórico, sim, por tratar de drama humano, real: o crime, a vingança e o castigo. Esse drama nós o sentimos e o percebemos presente na História. O texto bíblico é narração popular, etiológico-teológica sobre a presença do mal social no mundo. O mal não existe apenas a nível pessoal, mas também a nível de convivência social. Se os homens são filhos de Deus e irmãos entre si, como se explicam o  crime e a vingança?

A Bíblia relata então "como começou a violência no mundo"; procura dar a "causa" da violência.  Esse tipo de narração é chamado "etiológico" (= dar a causa). Em seguida a Bíblia critica e condena a violência: Deus não a quer, pois ela está fora de seu projeto. Essa conclusão é o aspecto teológico da narração.

Essas reflexões do autor, nascidas de sua pesquisa, de sua fé e de sua experiência, são agrupadas numa história especial com a qual ele "explica" a origem e o desenvolvimento do mal na vida social, bem como a origem da violência e da vingança no mundo.

Além disso, como pano de fundo, o autor desse relato quer dar outra explicação "histórica" para os seus leitores: por que a tribo dos quenitas (ou cainitas, descendentes de Caim) era tribo nômade e feroz. Ele dirá então o que julga: a tribo dos quenitas, ou cainitas, vivia errante, diz ele pelo texto, porque ela tem por fundador um fratricida; ela nasceu de crime entre irmãos; Caim, o fundador da tribo, matara seu próprio irmão Abel.  Por isso ele passou a viver errante (em hebraico: nad). A Bíblia lembra esse aspecto dizendo que Caim foi morar na "terra de Nod" (Gn 4,16). As palavras nad (= errante, em hebraico) e Nod (a cidade) formam um jogo de palavras significativo: cidade errante ou grupo errante.

Percebe-se que a finalidade desse texto é a de constatar a existência da violência no mundo, mostrar que Deus a desaprova e explicar por que a tribo dos quenitas (descendentes de Caim) era tribo errante e feroz.

Voltando ao texto: o autor quer denunciar ainda a violência que gera sempre violência e a vingança que gera sempre vingança na convivência social. Quer ensinar que é preciso parar com a violência, pôr ponto final nas mútuas agressões.

As palavras que Caim dirige a Deus demonstram essa cadeia de violência: o assassino tem sempre medo de ser assassinado (vv. 13- 14). A resposta de Deus confirma que, de fato, a vingança levará à vingança e a violência se tornará uma bola de neve crescente sempre mais, à medida que rola. Se Caim, assassino, for assassinado, seu clã e seu grupo se vingarão. Haverá recrudescimento da violência: "sete vezes sofrerá violência" - na linguagem bíblica, aqui, significa maior violência ou grande violência.

O "sinal" que Deus põe em Caim é símbolo que o autor usa para dizer que Deus não quer a violência, condena-a. Cada tribo ou cada clã tinha o seu sinal específico. O sinal específico que Deus põe em Caim indica sua pertença a uma tribo feroz e vingativa; esse sinal desestimulava as pessoas de outras tribos a tentarem vingar-se de Caim ou dos quenitas. O sinal era, pois, da parte de Deus, um dique à violência e não marca infamante. O autor diz: "Olha, Deus mandou parar com a violência; Deus não aceita a violência; é preciso pôr fim nisso". É esse o sentido do "sinal de Caim".

Nesse texto a Bíblia denuncia então: a existência da violência no mundo e o extremado senso de vingança existente nas pessoas; constata que existem muitos "Cains" na sociedade: são as pessoas de ontem e de hoje que violentam, agridem, matam o irmão. Denuncia o texto que a vingança chama vingança e que isso tudo não está
conforme à vontade de Deus; Deus exige o fim desse estado de coisas  e quer os homens felizes, amigos, vivendo em paz e em fraternidade. Nessa ótica o texto em questão tem sentido e é questionador.

 

Texto extraído do livro: Bíblia: Perguntas que o povo faz – Frei Mauro Strabeli – Paulus.