Translate this Page

Rating: 2.2/5 (463 votos)

ONLINE
2





Partilhe esta Página


33 - Profeta Elias
33 - Profeta Elias

Texto de estudo: 1Rs 18,16-46: Elias enfrenta os falsos profetas.

 

Texto de apoio: 2Rs 21,1-18: O violento reinado de Manassés.

 

I- Partir da Realidade: A ambição pelo poder corrompe. Para que o governo dos reis triunfasse era necessário destruir a religião de Javé. Esta reli­gião mantinha o povo na obediência às leis e à Aliança, às tradições tribais e aos costumes do tempo dos Juízes. Isto impedia a centralização do poder nas mãos do Rei. Na tenta­tiva de destruir a religião de Javé, os reis vão incentivar e promover o culto idolátrico a Baal, deus cananeu da chuva e da fertilidade do solo, o protetor das cidades. Nosso encontro de hoje vai mostrar que a política dos reis quase atingiu seu objetivo. Na época do rei Acab, a religião de Baal se torna oficial (1Rs 16,32-33). Casado com Jezabel, princesa fenícia de Tiro, trouxe desta Cidade-Estado sacerdotes e profetas de Baal que viviam na corte em Samaria, sustentados pelo rei (1Rs 18,19). A religião de Javé é duramente perseguida (1Rs 18,13). Profetas Javistas são presos ou mortos. Quando parecia que Baal ia triunfar, surge aquele que é considerado o maior dos profetas: Elias, o tesbita.

 

1. Como se promove hoje a idolatria em nosso continente latino-americano?

2. Se olharmos para a história de ontem e para a nossa realidade de hoje, vemos muitos falsos profetas que trabalham para os poderosos, criando dúvidas e perplexidades no povo. Cite e comente alguns episódios.

3. Como acontece hoje a perseguição aos verdadeiros profetas e profetisas?

 

II- Estudar e meditar o texto: Leitura do texto: 1Rs 18,16-46. Ler atentamente o texto. Narrar o texto, se possível numa encenação.

 

2. Estudo do Texto: Ver de perto o texto: O texto que estamos estudando nos descreve um episó­dio da vida e da atividade do profeta Elias: o confronto no Monte Carmelo. É um texto de narrativa popular, trans­mitido oralmente com uma finalidade didática. Só depois é que foi posto por escrito.

 

1. Quem são os personagens e o que cada um faz?

2. Este texto narra um desafio entre profetas. Qual é este desafio? Por que ele acontece?

 

2.2. Olhar a situação do povo: Nesta época, as cidades funcionavam como quartéis, cen­tros comerciais e centros religiosos. O rei era, ao mesmo tempo, comandante do exército, responsável pelo comér­cio e sacerdote da religião. O casamento do rei Acab com a rainha Jezabel significava que comerciantes estrangei­ros, da Cidade-Estado de Tiro, criaram um bairro comer­cial em Samaria. E neste bairro construíram um templo ao seu deus Baal-Malkart (lRs 16,31). O conflito entre a religião de Javé e a religião de Baal atinge no Carmelo seu ponto crítico. Deste enfrentamento sairá a resposta vital: quem é o verdadeiro Deus? O povo reunido deve definir-se ante as posições em conflito. Mer­gulhado na dúvida, o povo viu que o rei Acab e a rainha Jezabel promoveram a religião de Baal (lRs 16,31), perse­guiram e mataram os profetas de Javé (lRs 18,4) e incen­tivaram a idolatria trazendo e sustentando profetas es­trangeiros. Só no palácio estes profetas eram 450!

 

1.Qual a situação do povo que transparece no texto?

2.Que palavras Elias dirige ao povo? Como entendê-las?

3.Quais as diversas atitudes do povo neste conflito?

 

2.3. Escutar a mensagem do texto: Elias combate e vence os profetas adoradores de Baal. A pós a vitória, Elias eleva uma oração ao verdadeiro Deus do povo.

 

1.Quais são os traços do falso deus Baal que transparecem nas zombarias de Elias?

2.Quais os traços do verdadeiro Deus que transparecem na oração e na atitude de Elias?

3.Como discemir hoje o rosto do Deus verdadeiro em nossa sociedade, repleta de manifestações idolátricas?

4.O que este texto ensina para nossa vida religiosa?

 

III- Celebrar a Palavra: O profeta Elias desmascara a falsidade dos profetas de Baal. O povo reconhece Javé como o verdadeiro Deus. Partilhar as descorbertas deste nosso encontro e agradecer com uma oração comunitária.

 

1. Assumir um compromisso de solidariedade como os povos, com sua Fe e busca do Deus verdadeiro.

2. Vamos reforçar nossa Fé em Jave, o único Deus verdadeiro, rezando o Salmo 115 (113B) que nos ensina a buscar forcas na verdade de Deus.