Translate this Page

Rating: 2.2/5 (232 votos)

ONLINE
4





Partilhe esta Página


4º Passo: Contemplação
4º Passo: Contemplação

4. A Contemplação: enxergar, saborear, agir. A contemplação é o último degrau da Lectio Divina. É o seu ponto de chegada. Cada vez, porém, que se chega ao último degrau, este se toma patamar para um novo começo.. E assim, através de um processo sempre renovado de leitura, meditação, oração, contemplação, vamos crescendo na compreensão do sentido e da força da Palavra de Deus. Nunca se chegará ao ponto de poder dizer: "Agora realizei todo o objetivo da Palavra de Deus na minha vida!", pois sempre haverá pela frente um olhar mais penetrante, uma leitura mais profunda, uma meditação mais exigente, urna oração mais engajada, uma contemplação mais transparente. Até todos os véus caírem, até que a realidade toda seja transformada e chegue à plenitude do Reino. Mas, até lá, ainda resta um longo caminho (1Rs 19,7). A contemplação reúne em si todo o caminho percorrido da Lectio Divina: até agora, você se colocou diante de Deus, leu e escutou a Palavra, estudou e descobriu o seu sentido; com ele você se comprometeu e começou a ruminá-lo para que entrasse na dinâmica da sua própria vida e passasse da cabeça para o coração; você transformou tudo isto em oração diante de Deus como projeto para a sua vida; o sal da Palavra desapareceu na sua vida e lhe deu um novo sabor; o pão da Palavra foi mastigado e lhe deu força para uma nova ação. Agora, no fim, tendo tudo isto na mente e no coração, você começa a ter um novo olhar para observar e avaliar a vida, os fatos, a história, a caminhada das comunidades, a situação do povo na América Latina, os pobres. E o olhar de Deus sobre o mundo, que assim se comunica e se esparrama. Este novo olhar é a contemplação. Novo olhar, novo sabor, nova ação! Ela envolve todo o ser humano. Sto. Agostinho dizia que, através da leitura da Bíblia, Deus nos devolve o olhar da contemplação e nos ajuda a decifrar o mundo e a transformá-lo, para que seja, novamente, uma revelação de Deus, uma teofania. A contemplação assim entendida, é o contrario da atitude de quem se retira do mundo para poder contemplar a Deus.

A contemplação como resultante da Lectio Divina é a atitude de quem mergulha dentro dos fatos para descobrir e saborear neles a presença ativa e criativa da Palavra de Deus e, além disso, procura comprometer-se com o processo de transformação que esta Palavra está provocando dentro da história. A contemplação não só medita a mensagem, mas também a realiza; não só ouve, mas coloca em prática. Não separa os dois aspectos: diz e faz; ensina e anima; é luz e força.

Para os fundamentalistas, a Palavra de Deus está só e unicamente na Bíblia. O mundo, a vida, a história, tudo isto é antro de perdição. Só se salva quem aplica a Palavra da Bíblia na sua vida e se afasta do mundo, da política, da luta do povo, dos problemas do bairro etc. A contemplação corrige este defeito dos nossos lhos e nos converte. Faz descobrir que não é Deus que esta ausente da realidade. Nós é que não percebemos a sua presença! Nós é que somos cegos (cf. Is 42,19). A Lectio Divina pinga um colírio, abre os olhos dos cegos e os faz enxergar. Tira o véu e ajuda a descobrir o desenrolar do projeto de Deus dentro da historia que hoje vivemos, a perceber como Cristo, centro de tudo, nos passar do nosso antigo testamento para o Novo testamento. Faz descobrir o sentido das coisas, faz comprometer-se com o Reino.

A contemplação, é o ponto final da escada, é o patamar para um novo começo. E como subir numa torre muito alta. Você alcança o primeiro patamar por uma escada de três lances: leitura, meditação e oração. Na janela do primeiro patamar, você descansa e contempla a paisagem. Depois, você continua a subida até o segundo patamar por uma outra escada também de três lances: leitura, meditação e oração. Na janela do segundo patamar, você descansa mais um pouco e contempla, de novo, a mesma paisagem. Ela ficou mais bonita! Dá vontade de subir mais para observá-la melhor.

E assim você vai subindo, sempre mais, num processo que não termina nunca. Vai lendo sempre a mesma Bíblia, olhando sempre a mesma paisagem. A medida que sobe, a visão se aprofunda, a paisagem fica mais ampla, mais real. Você enxerga a sua casa, o seu povoado.

Encontra lá no meio a sua vida, a história de suas andanças. E assim vai subindo, junto com os companheiros, trocando idéias, ajudando-se uns aos outros para não deixar ninguém para trás. E assim vamos subindo, até que cheguemos a contemplar Deus face a face (1Cor 13,12) e, em Deus, os irmãos, a realidade, a paisagem, numa visão completa e definitiva. A contemplação é tudo isto, e muito mais! "Muita luz, nuvem limpa, pé de pau florido e o povo alegre, cantando. Eu acho que é um pedacinho da ressurreição, mesmo em sonho. A gente acordado não dá pra ver esse desafogo da ressurreição porque tem sempre as sombras do sofrimento e da luta... Vai demorar... Mas um dia eu sei que a ressurreição da felicidade, melhor que o sonho, vai chegar para o povo. Um dia a ressurreição Vai baixar no nosso chão" Palavras de um pedreiro! Demos graças a Deus!